terça-feira, 30 de novembro de 2010

Segurança: onde começa nossa responsabilidade?







Um exemplo do que acontece no cotidiano das pessoas, seja em casa ou nas ruas, pode ser visto dentro das organizações também. Poucas pessoas têm a consciência de que também são responsáveis pela Segurança interna da organização , obedecendo e disseminando as normas e códigos de conduta, sempre contribuindo para um ambiente seguro.

O bandido, marginal, golpista sempre existiram, atraídos pela falsa perspectiva de vida fácil (dinheiro, luxo, carros do ano) bem como pelo vício em drogas, porém entre os vários motivos que contribuem para o aumento da bandidagem, um dos principais chama-se oportunidade ou descuido. Isso mesmo, com o passar dos anos a vida das pessoas tem se tornado cada vez mais corrida, muitos compromissos e afazeres, muitos objetivos a serem alcançados, com isso se tornou natural que as pessoas estejam sempre atentas aos seus anseios principais, aquilo que as move à correria do dia a dia, deixando assim de prestar atenção em pequenas coisas, por exemplo: quem não se lembra dos recentes noticiários de TV onde não só um, mas vários casos de pais que tiveram seus filhos mortos por terem esquecido-os no carro enquanto iam para o trabalho? Este, com certeza, não é o exemplo que eu gostaria de citar aqui, mas infelizmente é a realidade para onde muitos têm caminhado diante da rotina e a correria, que às vezes, nos faz deixar de prestar atenção, ou melhor, nos leva ao descuido e desatenção.

A responsabilidade sobre a segurança não se restringe apenas aos Órgãos Militares, ao Estado, às Prefeituras. Sem dúvida, é preciso sim prover melhores salários para as polícias, melhorar sua formação e conhecimento para combater o crime, aumentar o efetivo. No entanto, urge para nós – cidadãos – a mudança de atitude e postura no sentido de comprometermo-nos com o estado de segurança que tanto almejamos, e principalmente, conhecer de fato quais princípios compõem a segurança pública a fim de estarmos aptos a cobrarmos de nossos representantes políticos o cumprimento de seus deveres.

Será que em meio a tantas prioridades profissionais e financeiras, consegue-se reservar um tempo para a educação e afeto aos filhos? Ou a responsabilidade de educá-lo (enquanto formação de caráter, valores, personalidade) está delegada à escola ou à babá? Será que o cuidado em checar a segurança de nossas residências antes de nos ausentarmos delas tem sido constante? Ou deixamos a cargo da Segurança Pública a garantia da integridade de nossos bens? Exemplos de perguntas as quais devemos nos fazer, não nos descuidar daquilo que é simples, mas essencial, justificando-os pelo envolvimento com a rotina e responsabilidades diárias. O aumento da insegurança também é promovido pela própria população, por questões culturais, políticas e econômicas, convenhamos; mas sobretudo por questões culturais: modos de vida, pensamentos, costumes que se têm tornado tão volúveis e desprovidos de sentido quanto nós mesmos.
O ditado já dizia: “a oportunidade faz o ladrão”. Um dito muito antigo, mas com princípio ativo vivo, isso mesmo, podemos dizer que em sua maioria, as ações de bandidos e marginais são praticadas porque as pessoas não têm a preocupação e consciência de que são responsáveis pela sua auto-proteção, ou seja, medidas básicas e pró-ativas que poderiam evitar situações como as muitas que vemos todos os dias nos noticiários de TV, rádios, etc.

Pessoas desprevenidas são assaltadas, seqüestradas, caem em golpes, ou até mesmo perdem a vida por descuidos com sua própria segurança. Um dos direitos básicos do ser humano previsto na Constituição Federal é o direito à Segurança, previsto no artigo 6º . Todavia, sabemos que o Estado não provê uma segurança satisfatória, visto a falta de investimentos com treinamentos para as Polícias, número insuficiente de efetivo para realizar o trabalho ostensivo, salários inadequados, enfim, são várias as necessidades para se prover a segurança satisfatória, mas não iremos aprofundar neste ponto, até porque sairíamos do foco deste artigo. O que eu quero dizer é que por mais que as conseqüências pela falta de comprometimento com sua própria segurança possam gerar resultados muitas vezes trágicos, não é fácil convencer as pessoas a mudarem seus hábitos.

Se eu cumpro com meu dever de pai/mãe, contribuindo para a formação sólida de valores e caráter de meus filhos, certamente as possibilidades de que eles se envolvam com más companhias diminuirão. Se eu enquanto cidadão consciente tomo o devido cuidado em trancar minha casa enquanto saio, com certeza irei dificultar a ação de bandidos e marginais contra meus bens. Zelar por uma estrutura familiar sólida, estável e harmoniosa refletirá no caráter de crianças e jovens, diminuindo consideravelmente as chances de que eles sejam mais um delinqüente no mundo do crime.

Enfim, falar em Segurança Pública,significa falar também de educação de qualidade, equilíbrio familiar, formação de caráter preferencialmente com princípios cristãos, vínculo familiar fortalecido proporcionando o respeito ao próximo, a elevada auto-estima, o seguir pelo exemplo dentro de casa. Portanto, nossa responsabilidade com a Segurança Pública é mais ampla do que imaginamos, ou melhor, ela também é nossa responsabilidade; tanto quanto daqueles que dedicam boa parte de suas horas diárias para garantir a ordem pública.

Por: Carlos Rodrigues Costa
Fonte: DicaSeg.com

COPA 2014 TEREMOS SEGURANÇA PARA ASSISTIR OS JOGOS?


Acabou a copa de 2010, nós Brasileiros já esperávamos quanto antes este término para não ficarmos relembrando a desclassificação. Agora teremos um grande desafio em 2014, entrar na copa com a pressão de já sermos campeões, parece favorável a facilidade de conquista em casa, mas poucas seleções conseguiram títulos na própria sede, e a segurança? como será realizado o planejamento de segurança pública?privada? e como será o comportamento dos Brasileiros quando terão que dividir espaços com outras nacionalidades torcendo para alguma seleção?

Diga a sua opinião ou criticas de como o Brasil deverá planejar esta segurança, o que deveremos planejar a partir de agora, utilize o e-mail: falecom@elderdosanjos.com.br


Forte abraço aos participantes deste blog

sábado, 20 de novembro de 2010

Convite: Palestra Segurança Corporativa





O fator Copa do Mundo movimenta milhares de pessoas, oportunidades, serviços, dentre outros segmentos que são diretamente influenciados pelo evento, e que nos leva a desenvolver habilidades personalizadas para garantir a manutenção da tranquilidade e continuidade dos bons negócios. Nesta palestra serão abordados desde a condição de cada agente sua preparação seus desafios como trás pontos para reflexão de novas condutas profissionais.


Público: Colaboradores da Segurança Corporativa da TIM e Convidados.
Local: Sede da TIM - Salvador - Bahia
Data: 27.11.10
Evento: PEX - Worshop de Segurança TIM 2010
Informações: Mattos 71 9149-9022
PALESTRANTE:

Elder dos Anjos
Vip Protection 2nd Operator
Consultoria Estratégica em Segurança
GSM (79) 9129 5358
falecom@elderdosanjos.com.br
www.elderdosanjos.com.br

terça-feira, 16 de novembro de 2010

Operação Três Barras 2010




A Artilharia Divisionária da 5ª Divisão de Exército (AD/5) realizou, de 3 a 7 de novembro, a Operação Três Barras, no Campo de Instrução Marechal Hermes, em Três Barras/SC.

A primeira fase do Exercício de Campanha foi destinada ao planejamento e coordenação do apoio de fogo da 5ª Divisão de Exército.
Na sequência, transcorreu o adestramento dos Sistemas de Artilharia de Campanha das organizações militares participantes da Operação.

Cerca de 900 militares, 60 viaturas sobre rodas e 25 viaturas sobre lagartas participaram da realização do tiro real dos calibres 105 e 155 mm, empregando as granadas explosivas, de exercício e iluminativas.

CONHEÇA O SEU EXÉRCITO: a Artilharia Divisionária da 5ª Divisão de Exército (AD/5) localiza-se em Curitiba-PR e sob o seu comando está o 15º Grupo de Artilharia de Campanha Autopropulsado (15º GAC AP), com sede na cidade de Lapa-PR.

O 15º GAC AP possui obuseiros autopropulsados M 109 de 155 mm e M 108 de 105 mm, ambos de origem norte-americana. O M 109 ainda é uma arma moderna e eficiente, sendo empregada por diversos países e largamente utilizados em ações do Exército de Israel e pelo Exército Americano no Iraque.

Acredita-se que existam quarenta M 109 no EB, todos da versão M109A2/A3 e adquiridos de segunda-mão do Exército Belga. As versões mais modernas do M 109 são conehcidas como M 109A6 Paladin e M 109A6 PIM, em uso pelos EUA e pela Arábia Saudita.

Fonte: EB

sexta-feira, 12 de novembro de 2010

Jovens são menos rigorosos com privacidade online




Empresa especializada em geolocalização afirma que pessoas nascidas depois de 1981 têm menos restrições em relação ao uso de ferramentas de geolocalização

Pessoas mais jovens apresentam comportamento diferente em relação aos padrões de privacidade online. Em entrevista ao The New York Times, o CEO da empresa Loopt, Sam Altman, afirma que pessoas que nasceram depois de 1981 têm menos restrições ao uso de aplicativos que fornecem informações de localidade.
Focada em aplicativos de geolocalização, a Loopt tem tido maior popularidade entre internautas mais jovens, embora ainda não tenha conseguido se estabelecer em fatia representativa dos usuários da web.
De acordo com a reportagem, apenas 4% dos norte-americanos utilizam aplicativos com o recurso, no entanto, somente 1% faz uso das ferramentas semanalmente. Os dados foram colhidos pela empresa de pesquisas Forrester Research.
Na última semana o Facebook lançou sua ferramenta própria de geolocalização, o Places. Com mais de 500 milhões de usuários ao redor do mundo, a inserção do recurso na rede social pode colaborar para a popularização do sistema.

Feito para guerra: um laptop que sobrevive a 26 quedas de 1 metro de altura



Aparelho é parte de uma linha de equipamentos feitos especialmente para o exército norte-americano, garantindo sobrevivência a água, fungos, poeiras e até a impactos explosivos

Geralmente, os laptops são bem frágeis e com uma leve queda já estão danificados. Porém, isso não acontece com todos os aparelhos do gênero. Quando o exército norte-americano precisa de equipamentos capazes de suportar o dia-a-dia do campo de batalha, uma empresa especialista em equipamentos militares é a escolhida.

Trata-se da VT Miltope, que apresentou nesta semana uma nova linha de computadores capaz de resistir a um ataque direto.

O laptop RLC-3, por exemplo, é capaz de sobreviver a 26 quedas de 1 metro de altura em qualquer direção. Como se isso já não fosse suficiente, o aparelhos também é protegido contra água, poeira, chuva, fungos , impactos explosivos e EMP (pulso eletromagnético).

Fonte:www.r5noticias.com.br/

terça-feira, 9 de novembro de 2010

Convite: Palestra Segurança Corporativa




O fator Copa do Mundo movimenta milhares de pessoas, oportunidades, serviços, dentre outros segmentos que são diretamente influenciados pelo evento, e que nos leva a desenvolver habilidades personalizadas para garantir a manutenção da tranquilidade e continuidade dos bons negócios. Nesta palestra serão abordados desde a condição de cada agente sua preparação seus desafios como trás pontos para reflexão de novas condutas profissionais.


Público: Colaboradores da Segurança Corporativa da TIM e Convidados.
Local: Sede da TIM - Salvador - Bahia
Data: 27.11.10
Evento: PEX - Worshop de Segurança TIM 2010
Informações: Mattos 71 9149-9022
PALESTRANTE:

Elder dos Anjos
Vip Protection 2nd Operator
Consultoria Estratégica em Segurança
GSM (79) 9129 5358
falecom@elderdosanjos.com.br
www.elderdosanjos.com.br

segunda-feira, 8 de novembro de 2010

Seg.Eletronica - Empresa de monitoramento eletrônico deve indenizar por demora em acionar polícia.

Empresa de monitoramento eletrônico deve indenizar por demora em acionar a Brigada Militar após arrombamento

A 5ª Câmara Cível do TJRS confirmou a sentença de primeiro grau que condenara a SOS Monitoramento de Alarmes LTDA ao pagamento de R$ 20 mil por danos materiais causados por falha na prestação de serviço. A empresa deixou de verificar e de comunicar à Brigada Militar sobre arrombamento ocorrido no estabelecimento comercial de um de seus clientes, após recebimento de 14 ocorrências por meio de seu sistema de monitoramento. O fato chegou ao conhecimento das autoridades e do proprietário apenas seis horas depois do ocorrido, momento em que os funcionários do estabelecimento chegaram ao local para iniciar suas atividades.

Essa não foi a primeira vez em que o estabelecimento foi alvo de meliantes. Em 7/7/2006, três homens armados com revólveres invadiram o local, renderam e feriram três funcionários, o proprietário e sua esposa. Na oportunidade, foram subtraídos diversos documentos, além de R$ 14.600 e dois aparelhos celulares.

Sentença

A Juíza Karla Aveline de Oliveira, atuando em regime de substituição na 4ª Vara Cível da Comarca de Santa Maria, entendeu que a SOS deveria ser responsabilizada pelo arrombamento ocorrido em 18/8/2006, quando foram levados documentos e R$ 20 mil em cheques e dinheiro. Na oportunidade, os meliantes adentraram através de uma janela do sótão. A primeira ocorrência de arrombamento recebida pela empresa foi às 2h13min e a última às 4h23min.

Tendo a empresa comprometido-se a atender todos os eventos ocorridos, dentro do menor espaço de tempo, entendo que se trata de evidente caso de ineficiência do serviço contratado. Tivesse a requerida agido da forma que se obrigou contratualmente, o requerente e a polícia teriam sido acionados assim que constatada a primeira ocorrência de arrombamento, às 2h13min, evitando o crime ou permitindo a captura em flagrante dos autores do fato, concluiu a magistrada. Ela fixou em R$ 20 mil a reparação por danos materiais.

A SOS recorreu, alegando que não tomou conhecimento do fato imediatamente, pois os sensores estavam tapados, de modo que ficou impossibilitada de agir.

Apelação Cível

Ao analisar o caso, o relator da 5ª Câmara Cível, Desembargador Jorge Luiz Lopes do Canto, votou pela manutenção da decisão de primeira instância. A argumentação de que os sensores estavam tampados foi derrubada pelo relatório de ocorrências, que comprova que os alarmes foram acionados no início da madrugada.

Caracterizada a responsabilidade civil no caso, o relator destacou que a omissão da SOS era incompatível com sua atividade profissional: ninguém paga empresa de vigilância para que esta descanse à noite, sem se importar com o patrimônio de seu cliente.

Os Desembargadores Luiz Felipe Brasil Santos e Romeu Marques Ribeiro Filho acompanharam o voto do relator.

Apelação Cível nº 70036791788




Fonte: TJRS

Monitoramento - Câmera de segurança em postos de combustível agora é obrigatória em sorocaba




Exigência faz parte de lei que já recebe muitas críticas; imagens terão de mostrar toda a movimentação do local e ficar armazenadas por 90 dias.

Agora é lei: postos de combustíveis de toda a cidade terão de ter câmeras filmadoras para monitoramento da movimentação do local, garantindo mais segurança para os consumidores e os próprios funcionários do estabelecimento.

A exigência faz parte de uma determinação municipal — é de autoria de um vereador — e já está em vigor desde o dia 26 de outubro. De acordo com a lei, as filmadoras deverão ser instaladas pelo menos no interior do estabelecimento (próximo ao caixa) e no pátio de abastecimento. Além disso, elas também devem ficar ligadas durante todo o período em que os postos ficarem abertos.

Mas, a exigência vai além: as filmagens deverão ficar armazenadas por, no mínimo, 90 dias, e só poderão ser utilizadas para instrução de processos que apurem conduta criminosa. A multa para quem descumprir as exigências é de R$ 1 mil, valor dobrado na reincidência.

Na teoria, a lei é boa, mas na prática ela joga a responsabilidade da segurança dos órgãos públicos para a iniciativa privada, critica o presidente do Sincopetro (sindicato dos donos de postos) Alair Fragoso. “Cada um tem direito de escolher se quer ou não utilizar os equipamentos em seu comércio. Por este balizamento do município, os supermercados, lojas e outros também deveriam oferecer a mesma segurança”, pondera.

Apesar de a lei ter sido sancionada pelo Executivo, a prefeitura informou ao BOM DIA que não iria se manifestar porque a lei é de iniciativa do Legislativo, que é quem deveria comentar o assunto.


Fonte: Agência Bom Dia

quinta-feira, 4 de novembro de 2010

A Segurança Corporativa e a Copa do Mundo em 2014 - descobrindo possibilidades




Público: Colaboradores da Segurança Corporativa da TIM
Local: Sede da TIM - Salvador - Bahia
Data: 27.11.10
Evento: PEX - Worshop de Segurança TIM 2010
Informações: Mattos 71 9149-9022

E-mails de golpes virtuais agora chegam com nome e CPF da vítima






Phishing scam, supostamente de seu banco, vem com nome completo e o número do CPF, em uma tentativa de legitimar o falso comunicado.

Os cibercriminosos que aplicam golpes de phishing scam – o tipo de cibergolpe mais comum na web brasileira – adicionaram um novo grau de sofisticação. Agora, o internauta recebe um e-mail, supostamente de seu banco, com seu nome completo e o número do seu CPF, numa tentativa de legitimar a mensagem falsa.

A mensagem que está circulando na web usa o nome de um grande banco brasileiro, e tanto no campo Assunto quanto no corpo da mensagem apresenta o nome completo do destinatário, além do número do CPF. Isso torna o e-mail ainda mais convincente. Para piorar, as pesquisas indicam que o internauta brasileiro não sabe identificar uma falso comunicado.

"O número do CPF é muito importante. Com a posse dele é possível a um criminoso roubar sua identidade e causar muitos prejuízos, ou em alguns casos produzir mensagens personalizadas de phishing, como essa", explica Fabio Assolini, analista sênior de malware da Kaspersky Lab, que identificou a nova tendência.

Assolini explica que essa não é a primeira vez que internautas no Brasil recebem esse tipo de golpe usando dados pessoais. Ano passado, clientes da TAM foram alvo de mensagens maliciosas que mostravam não só o nome completo como também o número do cartão do programa de pontos por fidelidade. Em 2009, no mundo todo, foram enviados 3,9 bilhões de phishings.

"Esse tipo de informação sensível geralmente é fruto de incidentes de vazamento de dados – que podem ocorrer de diversas formas: desde um servidor invadido por cibercriminosos que roubam os dados até a perda de notebooks ou pendrives com informações corporativas", diz Assolini.

Para o analista, o internauta não tem muito o que fazer para se proteger. Caso a empresa de e-commerce em que o internauta tenha feito o cadastro sofra um ataque e tenha o banco de dados roubado, o usuário torna-se uma vitima em potencial.

"No caso do CPF e outros dados temos um cenário pior: esse tipo de informação pode ser facilmente comprada pela internet ou em bancas de camelô", diz.

Fonte: Por Renato Rodrigues, do IDG Now! Publicada em 04 de novembro de 2010 às 08h30
http://idgnow.uol.com.br/seguranca/2010/11/03/e-mails-de-golpes-virtuais-agora-chegam-com-nome-e-cpf-da-vitima/

quarta-feira, 3 de novembro de 2010

Deputada quer proibir vigilante de usar arma de fogo




A deputada Solange Amaral (DEM-RJ), quer proibir que vigilantes usem armas de fogo. A única exceção seriam os trabalhadores de transporte de valores. A proposta foi apresentada sob a forma de projeto de lei e tramita na Câmara dos Deputados sob o número 7314/10.

O texto, condenado veementemente pela categoria dos vigilantes, pretende que a segurança de clientes, funcionários e do próprio vigilante com posto de trabalho em agências bancárias seja feita apenas com cassetetes de borracha ou de madeira.

A proposta pretende alterar a Lei 7.102/83, que estabelece normas paras as empresas de vigilância e de transporte de valores. Vale lembrar que, hoje, a legislação permite ao vigilante portar armas de fogo em serviço, desde que a arma seja da empresa para a qual trabalha. A empresa precisa ter autorização de funcionamento emitida pela Polícia Federal e o vigilante, curso de treinamento, capacitação e Carteira Nacional de Vigilante.

De acordo com a autora, a necessidade de proteção dos cidadãos não pode servir de justificativa para o armamento de algumas categorias sem o devido controle da sociedade. Para ela, vigilantes que desempenham suas funções no interior de agências bancárias não têm necessidade de portar arma.

Hoje, a empresa que utilizar vigilante desarmado em instituição financeira está sujeita a multa. "O vigilante que está na recepção de um estabelecimento comercial, no trato direto com um grande fluxo de cidadãos, de forma a lhes oferecer segurança, não pode funcionar como o estopim deflagrador de violências e barbáries", argumenta a deputada.

A deputada parece esquecer que o vigilante armado representa a segurança de bancários, clientes e da própria população. Mantê-lo no posto desarmado oferece um risco absurdo não só à sua própria vida como de toda a sociedade. Pensar num vigilante enfrentando assaltantes com cassetetes chega a ser ridículo, além de irresponsável. Vale lembrar que apenas este ano, sete vigilantes perderam a vida trabalhando na segurança de bancos. É impossível imaginar o tamanho dessa matança caso a proposta tresloucada da deputada já estivesse valendo.

O projeto equivocado da deputada carioca tramita apensado ao 4436/08 do Senado, que assegura adicional de periculosidade para a categoria. Apensar um projeto a outro significa que eles tramitarão em conjunto. Quando uma proposta apresentada é semelhante a outra que já está tramitando, a Mesa da Câmara determina que a mais recente seja apensada à mais antiga. No caso, como o 4436 já passou pelo Senado, é ele que encabeça a lista, tendo prioridade.

É importante que a categoria se manifeste para evitar que essa proposta absurda ganhe corpo no Congresso. Podemos protestar telefonando para a comissão ou encaminhando faxes para a Comissão Temporária Especial que trata da matéria. Os telefones são: Telefones: (61) 3216-6207 FAX:(61) 3216-6225.


Fonte: CNTV


* O nosso blog quer saber sua opinião sobre o tema, envie um e-mail pra nós, teremos o prazer em publicar e faremos uma relaçao de manifestos para ser encaminhado ao congresso, fale com a gente.

escreva para: falecom@elderdosanjos.com.br

Portaria modifica normas sobre segurança privada

O Diário Oficial da União publicou, na edição de ontem, a portaria 1.670, que altera vários itens da portaria número 387, de 2006, que trata das normas sobre segurança privada.

Entre as novas determinações, o novo texto fixa regras muito claras sobre como deve ser o procedimento para abertura de filiais de empresas de segurança privada onde ainda não houver autorização de funcionamento.

Para autorização dessa nova filial, é necessário apresentar diversos documentos e comprovar os requisitos relativos às instalações físicas. As novas regras também especificam o material que precisa ser utilizado na blindagem de carros que transportam valores e diz expressamente que “é de responsabilidade da empresa de transporte de valores a manutenção dos veículos em perfeito estado, inclusive quanto à eficiência da proteção balística empregada”.

Um artigo estabelece prazo para que os Centros de Formação de Vigilantes informem à Polícia Federal a relação nominal e qualificação de candidatos matriculados seja para formação de novos profissionais, seja para reciclagem. Sobre uso de armamento em cursos de formação, fica estabelecido que o treinamento em pistola calibre 380 é restrito aos vigilantes que possuem extensão em escolta armada, transporte de valores ou segurança pessoal e que o treinamento em espingarda calibre 12 não pode ser utilizada por quem possui apenas extensão em segurança pessoal.

A respeito dos uniformes, determina que o vigilante deve utilizar, em serviço de segurança pessoal, “traje estabelecido pela empresa, não assemelhado ao uniforme das forças de segurança pública, portando todos os documentos aptos a comprovar a regularidade da execução do serviço de segurança pessoal contratado”.

Fonte: CNTV

terça-feira, 2 de novembro de 2010

O Exército dos EUA formalmente iniciou a produção em baixa escala do helicóptero AH-64D Apache Block III, uma versão melhorada do famoso Apache, ago





Os ladrões de cargas causam em média R$ 8,5 milhões de prejuízo mensal ao setor de transportes no Estado. Ao longo do primeiro semestre deste ano, foi registrado um ataque a cada seis horas no Rio Grande do Sul, segundo dados da Secretaria da Segurança Pública.Versões modernas dos piratas que no passado singravam os mares para pilhar, os bucaneiros do asfalto usam armas automáticas e veículos possantes.

Quase sempre escondem o rosto sob capuzes e toucas. Agem sob encomenda. As investigações policiais apontam que os bandidos estão em geral informados da carga levada pelo veículo abordado.De janeiro a junho deste ano, foram registrados 719 casos, entre furtos (sem a presença do motorista) e roubos (com violência ou ameaça) de carga em caminhões e veículos de entrega. O número representa 5% a mais do que em 2009.Apesar da redução de 14,2% nos ataques violentos nas estradas contra caminhoneiros, os indicadores foram impulsionados pelo aumento das investidas contra pequenos utilitários usados para distribuição dentro das cidades e contra veículos parados em postos de combustíveis, onde as cargas são levadas sorrateiramente.Os roubos de carga se concentram na Capital e nos municípios vizinhos. Cerca de 60% dos casos são registrados na região – os demais estão pulverizados pelo Estado. Além de ser ponto de partida e destino de boa parte das cargas e de concentrar grande volume de veículos pesados, a Região Metropolitana também figura como área onde as quadrilhas distribuem no varejo e na indústria os produtos e as matérias-primas roubados – às vezes, por meio de empresas devidamente constituídas.– Os produtos acabam tanto em minimercados quanto em grandes lojas. É um esquema organizado – afirma José Carlos Silvano, presidente do Sindicato das Empresas de Transporte de Cargas e Logística no Estado do Rio Grande do Sul (Setcergs).

ZERO HORA

Apache Block III entra em produção





O Exército dos EUA formalmente iniciou a produção em baixa escala do helicóptero AH-64D Apache Block III, uma versão melhorada do famoso Apache, agora com mais potência, sustentação, manobrabilidade, comunicação com sistemas não-tripulados e habilidade para pousos “duros”.
O contrato do US Army com a Boeing cobre a produção de 51 helicópteros Block III, com primeiro a ser entregue em outubro de 2011.
O Block III tem motor 701D, pás de rotor de material composto, aviônicos de rede e comunicações melhorados, RDS-21 e estrutura resistente a pousos forçados.
O sistema RDS-21 combina a transmissão de torque dos dois motores em uma única transmissão.

Além disso, o Apache Block III inclui a tecnologia de nível 4 que permite o controle de sensores de aeronaves não-tripuladas que estejam voando nas proximidades e a recepção dos vídeos produzidos em tempo real por essas aeronaves.
Num esforço colaborativo com a Boeing, o US Army pretende produzir 10 novos helicópteros por mês em 2014, com planos para aquisição de 690 helicópteros.

FONTE: US Army